• denuncias
  • peticionamento
  • mediacao
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
    • Trabalho infantil O FILME
    • MPT cadastra entidades para destinação de recursos
    • Inscrições para o 2ª Processo Seletivo de Estágio de 2019 poderão ser realizadas de 7 de outubro a 7 de novembro
    • Atividades de capacitação vão debater políticas locais de acolhimento e integração de refugiados e migrantes
    • MPT lança desenho animado sobre trabalho infantil
    • MPT-RJ seleciona entidades para celebrar convênio de coleta seletiva
    • Edital convoca empregados e ex-empregados do Jornal do Brasil
    • Documentário expõe alto índice de mortes no trabalho. Clique para assistir.
    • MPT cadastra entidades para destinação de recursos

    Audiência pública debate como garantir os direitos dos Jovens Aprendizes

    Foram apresentadas medidas para efetiva aplicação da Lei da Aprendizagem

    O estado do Rio de Janeiro tem potencial para empregar 86 mil Jovens Aprendizes, no entanto, apenas 46 mil estão trabalhando. Para debater essa situação e pensar em mecanismos para garantir o cumprimento da Lei da Aprendizagem, a Comissão Especial da Juventude da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) promoveu a audiência pública “Como garantir os direitos dos Jovens Aprendizes”.

    O evento, realizado no dia 6 de junho, contou com a participação da procuradora do Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT-RJ) e representante regional da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Coordinfância), Dulce Martini Torzecki. O auditório da Alerj estava lotado de jovens e a audiência foi entremeada pela intervenção de jovens artistas.

    A procuradora destacou a participação do MPT em projetos como o "Criando Juízo - uma rede de apoio à cidadania", desenvolvido junto ao Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), que visa à contratação dos adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas via aprendizagem profissional. Foi discutida a criação de uma reserva de vagas para os egressos do sistema socioeducativo, em especial do regime semi-aberto.

    Durante a audiência foi debatida a questão do piso salarial do aprendiz e apresentado um projeto para contratação de aprendizes pela Administração Pública. Ao final, as deputadas da Comissão de Trabalho e da Comissão de Juventude da Alerj acolheram a proposta apresentada e decidiram encaminhar projeto de lei prevendo essa contratação. Outro ponto que entrará no projeto é a exigência, pela Administração Pública, de que suas contratadas cumpram a cota de aprendizes.

    Estiveram presentes na audiência o auditor fiscal da Superintendência Regional do Trabalho, Ramon de Faria; a presidente da Comissão de Trabalho, deputada Mônica Francisco (Psol); e a presidente da Comissão de Juventude, deputada Dani Monteiro (Psol). Representantes do governo, do Degase e da Defensoria Pública também prestigiaram o evento.

    Assessoria de Comunicação • Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT-RJ)
    (21) 3212-2121 • (21) 9 9423-7936
    prt01.ascom@mpt.mp.br
    prt1.mpt.mp.br | Twitter: @MPTRJOficial | Facebook: MPTRJ.Oficial

    Imprimir

    • banner pcdlegal
    • banner abnt
    • banner corrupcao
    • banner mptambiental
    • AUDIN
    • banner transparencia
    • banner radio
    • banner trabalholegal
    • Portal de Direitos Coletivos